A TRATAVE

Contamos consigo

Que cuidados devem ter os utilizadores do SIDVA

O Contrato de Adesão e Ligação ao SIDVA, no seu anexo 2 – Regulamento de Descargas de Águas Residuais Industriais –, é claro no que diz respeito às preocupações a ter presente aquando da efetivação das ligações ao sistema de despoluição.

O bom funcionamento do SIDVA, Sistema Integrado de Despoluição do Vale do Ave, depende de cada um dos utilizadores, domésticos e industriais.

Substâncias que não devem ser descarregadas no SIDVA

• Águas limpas, tais como águas pluviais, nascentes, águas de processo não poluídas, e outras;
• Águas residuais com temperatura superior a 65º C;
• Resíduos sólidos, tais como papel, plásticos, substâncias sólidas ou viscosas, cinzas, fibras ou escórias, areias, palha, metais, vidros, cerâmicas, trapos e estopas, alcatrão, madeira; ou orgânicos, tais como peles ou vísceras de animais, etc.;
• Lamas provenientes de estações de tratamento;
• Águas com propriedades corrosivas que possam danificar ou pôr em perigo as estruturas e equipamentos dos sistemas de drenagem, designadamente com pH inferiores a 5,5 ou superiores a 9,5;
• Gasolina, benzeno, nafta, gasóleo ou outros líquidos, sólidos ou gases inflamáveis ou explosivos;
• Águas residuais contendo quaisquer líquidos, sólidos ou gases venenosos, tóxicos ou radioativos, capazes de criar inconvenientes para o público ou interferir com o pessoal afeto à operação, ou pôr em perigo a ecologia do Ave enquanto meio recetor dos efluentes das estações de tratamento;
• Águas residuais que contenham substâncias que, por si mesmo ou por interação com outras, solidifiquem ou se tornem apreciavelmente viscosas entre 0ºC e 65ºC;
• Águas residuais que contenham óleos e gorduras de origem vegetal ou animal cujos teores excedam 250 mg/l;
• Águas residuais que contenham concentrações superiores a 2000 mg/l de sulfatos, em SO4;
• Águas de circuitos de refrigeração;
• Águas residuais que contenham substâncias perigosas, nomeadamente substâncias que, em função das respetivas toxicidade, persistência e bioacumulação, figurem ou sejam suscetíveis de poderem figurar em listas que a legislação em vigor estabeleça.

Devem ainda ter em atenção os valores limites de emissão definidos para alguns parâmetros analíticos definidos no

>        Apêndice 1 do Regulamento

O utilizador deve munir-se de procedimentos que impeçam que este tipo de substâncias chegue ao sistema, no entanto, no caso de ocorrência de alguma descarga acidental desta natureza o utilizador deve informar, obrigatoriamente, a TRATAVE, a Autoridade Gestora, tão mais rapidamente quanto possível, para que possamos desencadear os procedimentos adequados para minimizar os efeitos nefastos que possam vir a ocorrer.

Mais informações podem ser consultadas aqui

>        Regulamentos TRATAVE

Juntos fazemos mais e melhor!
Cabe a todos nós cuidar o Sistema Integrado de Despoluição do Ave.
Contamos consigo!